7 dicas para proteger seu cão dos fogos de artifício

O fim do ano está chegando e com ele a famosa queima de fogos. Quem é que não gosta de ver o céu colorido e iluminado na virada do ano, não é mesmo? Bom, nós humanos gostamos, mas seu cachorro pode não ficar tão a vontade assim perto dos barulhos ensurdecedores dos rojões.

Muitos acreditam que é por conta da audição mais aguçada, mas é um mito. Segundo o zootecnista Renato Zanetti, baseado em dados publicados no livro Animal Welfare, de 2011, os fogos são ruins por desencadearem medo e ansiedade no animal. Para os cachorros, o barulho de explosão remete a um sinal de perigo ou um sinal de que algo de ruim vai acontecer com ele, e para que nada aconteça, ele tem que correr.

Pensando no bem-estar dos pets, o zootecnista e especialista em comportamento animal, Renato Zanetti, listou algumas dicas para acalmar seu cão e protegê-lo dos fogos de artifício.

1- Deixe o ambiente mais seguro, retirando objetos que possam cair sobre o cão ou que ele possa destruí-los e se machucar. Também deixe janelas e portões de acesso a rua fechados, para evitar eventuais fugas do cãozinho.

2- Aumente a identificação de seu cão, caso ele venha a fugir por conta da fobia. Nesta época do ano, é muito comum cães fugirem de suas casas por conta do barulho excessivo dos fogos. As plaquinhas com o nome já são eficientes, mas nesses casos, é bom ter coleiras com o nome do cão e o telefone para contato.

3- Ofereça suporte emocional a seu cão. Deixe-o em ambientes conhecidos e que tenha cheiros familiares. Facilite também o acesso aos locais onde ele já dorme, ou a procura de forma voluntária, como a casinha, a caixa de transporte, a cama, o quarto, etc.

4- Se for preciso, abrace seu cachorro. Segundo a crença popular, abraçar ou pegar no colo seu cachorro causa ainda mais medo nele, mas não é bem assim que funciona. Assim como para os humanos, o abraço e o contato corporal relaxa e tira a tensão.

5- Em casos EXTREMOS de fobia, procure um veterinário comportamental, pois quanto maior o nível de estresse de seu cachorro, menor é seu nível de aprendizado, e somente o médico, nesses casos, pode avaliar qual a melhor solução para seu cão passar por essa fase estressante.

6- Treine seu cachorro de forma preventiva. Claro que, a idade ideal para se fazer isso é até os três meses de idade, quando o cão ainda está no período de socialização, no entanto, nem todas as pessoas possuem conhecimento da importância desse adestramento. Nesses casos, procure um adestrador profissional, que poderá contribuir positivamente com a situação.

7- Informe a sua comunidade dos malefícios que os fogos de artifício fazem ao bem-estar dos cães e outros seres vivos que não entendem que o barulho excessivo é uma forma de nós humanos comemorarmos uma coisa boa.