Final de ano, crônica da escritora Ana Mello

ana-mello-650-330

Final de ano

escritora Ana Mello

 

Fico pensando em queimar a agenda velha e dar fim para um ano ruim, com muita tristeza, saudade e dor. Mas também um ano de alegrias, de aprendizado, de vida. Impossível esquecer tudo.
Quero comprar uma agenda nova para sentir mais amor, validando minha crença na vida eterna, na esperança aqui neste mundo.

 

Desejo que o minuto que pode ser o último seja o primeiro de um novo ciclo de força, de coragem. Que minha permanência aqui tenha outro significado. Que tenha algum significado, fazendo a diferença de verdade. Queria ter poder! Desejar o anel de Salomão seria contra minha crença de aprendizagem, de livre arbítrio, mas o caos me assusta e temo que não possa fazer nada para mudar o mundo.

 

Mas será que eu preciso mudar o mundo? Não, claro que não, interferir positivamente na vida de algumas pessoas já é o bastante. Porém, às vezes não sei como, e a ansiedade é perturbadora.
Penso no medo, dias em que perdemos tudo, em que o trabalho é pequeno diante da violência, do roubo, do crime – por nada.

Acredito que esses pensamentos estão perturbando muitas pessoas agora mesmo, pois o final do ano traz muitos questionamentos. É uma referência de renovação, de começar de novo e fazer diferente. Isso é bom porque nos permitimos mudar ou por fim em alguma coisa, seja ela boa ou ruim.

 

Não sei a receita correta para responder esta questão tão profunda, que responde a própria vida e nossa trajetória. Sei apenas que é bom acreditar na mudança, na nossa força individual e como ela pode sempre influenciar as pessoas e o ambiente em que vivemos.

 

Não posso dar conta de tudo, controlar as coisas, o tempo. Ninguém pode.

 

Nem seria justo fazer isso. E talvez isso seja mesmo um alívio. Que bom que somos apenas uma parte. A tarefa é só reconhecer os outros elos da engrenagem e reconhecer o poder de cada um.

 

Que venha 2016 e que seja leve.

 

Ana Mello

Escritora, poeta, professora, especialista em informática na educação.
Colunista semanal aqui e no Diário de Cachoeirinha. Colunista e editora no portal Artistas Gaúchos e na Revista Veredas, representante do Movimento Poetrix no RS. Argonauta da internet, seduzida por minicontos, rimas e quadrinhos. Exibida e divertida está espalhada em palavras pela internet, em e-books e em dois livros de papel –Minicontando e Perseu. Pode ser encontrada também no twitter, no facebook e nosite http://anamelloescritora.com.br

.