Reuniões de familiares e amigos no Ano-Novo puxam vendas dos supermercados gaúchos

O cenário de instabilidade político-econômica que marca o encerramento de 2015 não diminuiu o ímpeto dos gaúchos nas comemorações de final de ano. Depois de registrarem um crescimento nominal de 1,5% nas vendas de Natal, os supermercados do Estado cresceram 1% nas vendas de Ano-Novo, em valores não deflacionados, na comparação com a data no ano passado. Dentro do esperado, o resultado foi puxado pela maior ocorrência de festas em conjunto, que reuniram familiares e amigos na virada do dia 31 de dezembro e permitiram uma divisão das compras entre os participantes. O balanço é do presidente da Associação Gaúcha de Supermercados, Antônio Cesa Longo, que destaca as vendas de lentilha e de cortes suínos de carne como hábitos de consumo em crescimento.

Segundo o supermercadista, pela primeira vez a lentilha superou o espumante como o produto considerado indispensável pelos consumidores em sua ceia de Réveillon. “Percebemos uma preocupação dos consumidores com a qualidade da ceia, enquanto em anos anteriores a quantidade era indispensável. Mas o consumidor não abriu mão de pesquisas preços e eventualmente migrar de marcas”, pontua Longo. A baixa procura por filtrados, em preferência a espumantes de maior qualidade, são um exemplo desta busca por uma festa mais qualificada. “As famílias e amigos reuniram-se em maior, número, cotizando as compras. Enquanto em outros anos a tendência foi de compras em volume, neste ano percebemos que cada consumidor comprava parte da ceia, em geral”, explica o dirigente. Segundo Longo, 95% dos espumantes vendidos pelos supermercados do Estado em dezembro foram produzidos na Serra Gaúcha.

Conforme o presidente da Agas, uma migração recorde de gaúchos para a região litorânea também alavancou as vendas de itens como cadeiras de praia, que tiveram incremento de 15% nas vendas, e de isopores e caixas térmicas, com crescimento de 12%. Segundo Longo, as vendas dos supermercados das praias gaúchas cresceram em média 20%, na semana do Réveillon, em relação ao ano passado. “Foi o Ano-Novo das festas de rua, quando as pessoas abriram mão de viajar para fora do Estado, de frequentar festividades mais caras, e priorizaram a família e os amigos. O gaúcho passou a virada sentado na cadeira de praia e aproveitando os fogos”, exemplifica. Longo diz que o crescimento das vendas de cadeira de praia também mostra que mais visitantes chegaram às casas neste ano, assim como mais pessoas dividiram um mesmo carro para viajar ao Litoral. “Houve mais compartilhamento”, resume.

Carne suína em alta – Com os cortes bovinos mais caros, a tradicional carne suína foi uma das sensações deste Réveillon, com um crescimento de 15% na comparação com o fim de ano anterior. Outro prato típico muito procurado foi a lentilha, com incremento de 6% nas vendas. “Este é um item que não falta na mesa dos gaúchos, devido à superstição que já está consolidada. O gaúcho mostrou-se mais preocupado do que nunca em garantir vibrações positivas na Virada”, observa Longo.

Fonte : Francisco Brust / Imprensa AGAS

.