Fecomércio-RS prevê crescimento de 3% a 4% para o Natal 2018

Lojas Natal Compras

Vendas de Natal

Mais de 70% dos consumidores pretendem comprar à vista e os itens de vestuário seguem na preferência entre os presentes

A Fecomércio-RS realizou sua Pesquisa de Final de Ano 2018. Realizada entre os dias 3 e 7 de novembro com 385 consumidores de Santa Maria, Porto Alegre, Caxias do Sul, Ijuí e Pelotas, os resultados indicam que o gaúcho deve gastar, em média, R$ 467,87 com os presentes de Natal em 2018. Os homens lideram na previsão média de gastos, com R$ 557,38 contra R$ 393,82 pelas mulheres.

OTIMISMO X CAUTELA E CENÁRIO
Os dados são inferiores aos registrados no mesmo período do ano passado, apontando cautela da população com relação aos gastos de Natal. Mesmo com o alto índice de endividamento do consumidor, alta taxa de desemprego, elevado número de cpfs negativados e atraso nos salário mensal e 13º dos servidores públicos do Estado do Rio Grande do Sul e de Porto Alegrem, a entidade, estima um crescimento das vendas entre 3% e 4% na comparação com o Natal do ano passado.

Diferente do que ocorreu em 2017, no Natal de 2018 a compra de presentes aparece como o quarto destino para os recursos do 13º salário (18,4%). As prioridades entre os consumidores que recebem 13° salário (52,2%), são o pagamento de contas do mês (48,3 %), a formação de poupança (34,3%) e o pagamento de contas em atraso (20,4%). “É um aspecto que demonstra certo amadurecimento e cautela do consumidor gaúcho. O ano de 2018 foi de bastante instabilidade, que começou com a greve dos caminhoneiros, e depois as eleições. A retomada da economia e da geração de empregos ainda é lenta, e os gaúchos parecem estar entendendo esse movimento”, considera Luiz Carlos Bohn, presidente da entidade.

A previsão otimista da Fecomercio-RS contrasta com o cenário econômico e dados levantados na pesquisa que apontam cautela. De um lado, empresários otimistas demais e de outro, consumidores descapitalizados e sem poder de compra.
Otimismo que questionável ao verificado os números de contratações temporárias ou intermitentes para o período.

COMPRAS
O número médio de presentes adquiridos por consumidor em 2018 tende ser de 4,3 unidades, com custo unitário de R$ 108,46. As mulheres vão comprar mais – 4,8 unidades, gastando, em média, R$ 80,93 em cada – contra 3,7 unidades dos homens, com valor unitário de R$ 152,36. Para os consumidores, os gastos no Natal 2018 serão inferiores aos do ano passado. Do total de entrevistados, 40,3% afirmaram que irão gastar menos ou muito menos do que no ano passado, enquanto 25,7% das pessoas pretende gastar mais ou muito mais. O percentual que planeja gastar o mesmo que em 2017 é de 34%%. ” Um consumidor com uma intenção de consumo mais tímida impõe ao lojista um empenho de venda muito mais intenso. Isso requer vitrines bem elaboradas, treinamento de funcionários e condições de pagamento atrativas”, comentou Luiz Carlos Bohn, presidente da Fecomércio-RS.

Os artigos de vestuário seguem liderando o desejo de compra ( 74,0% dos entrevistados ), seguido dos brinquedos (43,1%) e calçados (16,9%). As lojas do centro das cidades são mais uma vez as preferidas para as compras (75,3%). em todas as classes sociais. Depois aparecem os shopping centers, com 19,7%, as lojas de bairro (4,9%), os camelôs/centro popular de compras (3,9%) e os supermercados (2,3%). A internet ainda não está entre os lugares mais utilizados para esse tipo de compra – quando aparece, a sua predominância é maior nos consumidores de classe mais alta (9,1%). Entre os ouvidos, 70,6% pretendem realizar as compras à vista. Os consumidores que vão parcelar não pretendem se comprometer tanto – farão de 1 a 3 parcelas, diferente do que aconteceu no Natal passado, por exemplo, em que as parcelas eram maiores.

.