Final de Ano: Culpas e Medos por psicoterapeuta transpessoal Domício Brasiliense

domicio-brasiliense-amorim-comunicao-01

Final de Ano: Culpas e Medos
por Domício Brasiliense

É interessante a forma como lidamos com o tempo. Algumas coisas, se depender da nossa vontade, queremos que acabe o quanto antes, outras desejamos eternizar. Mas, nem essas coisas, nem o tempo nos pertencem. O que fazer, então?

Em quase todos os anos de nossas vidas, quando finda o mês de outubro já temos internalizado o fim do ano. Parece que nosso ser inconsciente aciona o dispositivo com a mensagem: “o ano acabou”. Sendo assim, já começamos a colocar expectativas no ano que está por vir, mesmo faltando uns sessenta dias para o Ano Novo.

Ao que parece, temos grande dificuldade de viver o momento presente, seja ele prazeroso ou frustrante. Por vezes, viciamos-nos no futuro que, quando chega de pronto nos lançamos a outro futuro, revelando nossa dificuldade em estar conosco e viver nosso momento presente.

O fato de estarmos sempre “lá” denota nossa dificuldade em estar “aqui”, agora, com o que somos e temos em nossas vidas. Esta postura traz a tona nossa dificuldade em aceitarmos nossas vidas e nós mesmos, demonstrando nossa rigidez, falta de autoconfiança e baixo autoestima, todos carregados de medos e culpas.

Ao que parece, ainda não inventaram algo tão poderoso quanto culpa e medo. A primeira nos aprisiona num mundo segregado, configurando um ser incompetente, inibindo nossas potencialidades para o autoconhecimento e felicidade. A segunda atua como um agente paralisante; ter medo é estar receoso, ter marcha lenta na vida e grande dificuldade em quebrar a rotina e arriscar-se. Por causa das culpas e medos, tentamos domar o tempo, como se ele medisse o ciclo da dor e felicidade em nós.

Contudo, ao que parece, esquecemos que todos estão no mesmo barco, navegando na vida. Sabemos, consciente ou inconscientemente, o que é a dor da existência. Se não houver dor, não haverá aprendizado e, se tudo fosse somente felicidade não descobriríamos o pior em nós, ao menos aqui, neste planeta. Somos seres opostos em si; somos luz e sombra, isto é, para tudo que é positivo há um negativo, ambos se completam e tem morada dentro do homem. O rumo que damos às nossas vidas se dá através do relativo equilíbrio entre esses opostos, configurando nossa autoestima e autoconfiança.

Para nascermos experienciamos a dor da perda da zona de conforto, para crescermos foi necessário o luto da infância… Tudo são perdas e ganhos, despedidas e encontros, frustrações e realizações, etc. Contudo, a magia está no que fazemos com tudo isso. Se nos vitimizarmos, nos colocando aquém da vida, ficaremos polarizados na sombra e convencidos de que esta vida não é para nós, dando morada à tristeza e abrindo portas para a depressão. Mas, mesmo que momentaneamente caídos, se houver esforço para uma visão positiva para conosco, procurando entender e elaborar as experiências da vida, estaremos aptos para o dia de amanhã, sem necessidade de controlar o tempo.

Amadurecer nossa percepção da vida é investir numa profícua autopercepção, criando possibilidades de viver com maior satisfação, sem tantas culpas e medos, o momento presente e investindo de forma edificante nos dias vindouros.

 

DOMÍCIO BRASILIENSE

DOMÍCIO BRASILIENSE

Doutorando em Psicanálise, Educação e Saúde, Pós-Graduado em Psicologia Transpessoal pela Associação Luso Brasileira de Transpessoal – ALUBRAT/RS.

Especialista em Terapia Familiar e de Casal e Graduado em Pedagogia pela FAPA/RS –Faculdade Porto-Alegrense de Educação Ciências e Letras.

Psicoterapeuta Transpessoal, autor do livro O Encontro de Eus – Um caminho… Uma vida diferente. Domício utiliza de sua facilidade de empatia, compreensão e impulso com o ser humano para realizar um trabalho que vem conquistando o público e os leitores.

Há 23 anos dedica-se à área da Educação e Recursos Humanos, sendo 15 anos como Professor e Orientador Educacional, 15 anos como Terapeuta Familiar e como Psicoterapeuta Transpessoal com atendimentos individuais e em grupo. Presta assessoria organizacional na área das capacidades das relações humanas em diversas empresas e instituições.

Realiza palestras nas áreas de Filosofia, Psicologia e Sociologia da Educação; Orientação e Carreira Profissional; Interrelações na Sociedade; Relações Interpessoais no Trabalho; Violência nos Ambientes Escolares e do Trabalho.