Saúde – Depressão natalina acomete várias pessoas

saude-depressao-natal-sortimentos-1

O Natal, para a maioria das pessoas, é sinônimo de alegria, união familiar, amigos, fartura à mesa e comemorações. Entretanto, para algumas pessoas, esta é a época mais triste do ano, pois remete a relembras de momentos felizes, vividos na companhia de pessoas especiais, mas que já se foram.

Este sentimento melancólico é conhecido como “depressão de Natal” ou “Christmas Blues”. Segundo a médica especialista em psiquiatria, Dra. Ana Paula Ribeiro, estas pessoas sentem, na época das festas de fim de ano, angústia, sensação de desamparo, aumento dos níveis de ansiedade e alguns outros sintomas que se assemelham a um quadro depressivo. “Este sentimento está relacionado a datas que nos remetem a lembranças tristes, perda de pessoas queridas, doenças, separações, desemprego, dificuldade em estar com a família ou, até mesmo, frustrações por não ter atingido as metas planejadas ao longo do ano”, explica Dra. Ana.

As perdas familiares, explica a especialista, ficam sempre mais evidentes no Natal, já que a família se reúne e as lembranças ficam afloradas, o que sempre traz um peso emotivo a mais. “Estas pessoas que sofrem com a depressão de Natal precisam ter em mente que outros familiares, tão importantes, também estão presentes neste momento e que elas devem se permitir vivenciar e se divertir”, aconselha a doutora do Centro Médico São José.

Geralmente, ressalta a especialista, os pacientes que sofrem com esta síndrome passam a se isolar do convívio familiar, perdem o interesse por atividades que, normalmente, lhes ofereciam prazer, apresentam sentimento de culpa excessivo ou inapropriado e, em alguns casos, apresentam alterações no sono, mudança de apetite, agitação e ansiedade. “Nestas situações, os familiares necessitam conversar com a pessoa para saber o que realmente está acontecendo e mostrarem-se dispostos a ajudar”.

Estar entre familiares e amigos é algo muito positivo, ressalta Dra. Ana, pois, muitas vezes, a depressão está associada a sentimentos de solidão e isolamento. “Seria interessante que a pessoa procurasse entender o real motivo que lhe faz sentir triste, pois, provavelmente, esta descoberta provocaria um alívio e uma maneira melhor de lidar com o sentimento e transformar o momento em um período de mudança de perspectiva. Não é tão difícil de conseguir transformar esses sentimentos de melancolia natalina em novas mudanças de perspectivas, mas, caso esses sentimentos forem maiores, ao ponto de se tornarem depressivos, obsessivos, deve-se, então, procurar orientação médica”, finaliza Dra. Ana.

Na maioria dos casos, a depressão de Natal tem duração breve, desde alguns dias até semanas e termina quando as festas acabam e a pessoa retorna à rotina.

.