Sexo e muitas risadas são dicas para começar o Ano Novo com o “Pé Direito”!

sorrindo Sexo e Boas Risadas

 

Ano Novo, Vida Nova! É o que as pessoas almejam e para isso partem em busca de novas metas no ano que se inicia. Além do trabalho, é importante manter uma vida social ativa, como viagens, passeios, divertimentos, para uma melhor qualidade de vida, além da prática de exercícios físicos e uma alimentação balanceada. Tudo para entrar com o pé direito!

Segundo a médica Edith Horibe, dar muitas risadas, estar de bom humor é um aliado e tanto para um Ano Novo cheio de conquistas. Praticar sexo e dar boas risadas ajuda a retardar o envelhecimento. “Quando você ri, está alegrando seus órgãos. A risada rejuvenesce, assim como uma boa alimentação e a prática sexual, que são importantes para o processo de envelhecer bem”, afirma.

Conforme pesquisa da Universidade de Louisville, nos Estados Unidos, o sexo pode ser um ótimo exercício desde as preliminares. O beijo na boca requisita 34 músculos da face e consome 2 calorias por minuto, Na soma final, a relação sexual consome cerca de 250 calorias em meia hora.

Para a médica, quanto mais cedo a pessoa se voltar a longevidade produtiva melhor. “Quando nascemos já estamos envelhecendo. É uma questão cultural. Fazer as pessoas entenderem que tudo é um aprendizado. Tudo começa com a consciência. Se você pensa que é jovem, você é jovem. Se você pensa que é acabado, você estará acabado. Não importa se tem 25 ou 50 anos”, diz.

Além do sexo e de boas risadas, a Meditação é excelente para conter o nível de estresse e começar o ano mais leve, com uma nova energia. Com 20 minutos de manhã e à noite, a pessoa lida melhor com o estresse do cotidiano. “A pressão e os batimentos cardíacos melhoram quando a pessoa entra em um estado de relaxamento. Fisicamente, a pessoa também fica mais saudável”, relata Edith Horibe.

A médica lembra que o sexo não é privilégio dos jovens, a Terceira Idade também deve praticá-lo. A diferença é que em idades mais jovens existe a preocupação com a “quantidade” de atividades sexuais, já em idades mais avançadas essa ideia é substituída por “qualidade”.

.